As crenças pessoais dos alunos e o impacto no seu sucesso socioeducativoestudo dun caso. A Escola Secundária de Gondomar

  1. María José Gomes Pinto
Dirixida por:
  1. Antonio Rodríguez Martínez Director
  2. María Esther Olveira Olveira Director

Universidade de defensa: Universidade de Santiago de Compostela

Ano de defensa: 2013

Tribunal:
  1. María del Carmen Pereira Domínguez Presidente/a
  2. Ana María Porto Castro Secretaria
  3. Rafael Sáez Alonso Vogal
  4. Silvana Longueira Matos Vogal
  5. Susana Torío López Vogal
Departamento:
  1. Departamento de Pedagoxía e Didáctica

Tipo: Tese

Resumo

Nesta dissertação, procuramos perceber dimensões relacionadas com (In)Sucesso escolar colocando sobretudo o enfoque nas Crenças Pessoais dos alunos. Assim trabalhamos sobre algumas teorias explicativas deste fenómeno, bem como, diversos indicadores relevantes para a compreensão do mesmo constructo tentando adoptar uma perspectiva pluridisciplinar. Entretanto, demos especial atenção a uma das variáveis ¿ a motivação, recorrendo à Motivational Systems Theory (MST). A escolha desta teoria prende-se com o objectivo geral deste trabalho, isto é, perceber o Padrão Motivacional de Crenças Pessoais dos alunos no Ensino Secundário. Sem dúvida que a MST foi a teoria base para a criação dos Padrões Motivacionais de Crenças Pessoais, os quais, consistem na combinação de três diferentes formas de Crenças quer pessoais quer no contexto. Assim, no sentido de encontrarmos dados que nos permitissem triangular informações quer dos diversos indicadores (In)Sucesso, quer relativamente aos Padrões Motivacionais de Crenças Pessoais recorremos à utilização de uma bateria de instrumentos, válidos e aferidos, nomeadamente, Questionário Sóciodemográfico, Questionário de Auto-Percepção sobre o Padrão de Crenças Pessoais, Escala de Avaliação de Auto-eficácia Geral, Escala de Satisfação com o Suporte Social e Escala de Auto-conceito e Auto-estima. Com a utilização desta bateria, foi nos possível, ainda perceber qual o Padrão de Crenças Pessoais dos alunos, e se estes se mantêm constantes ou não ao longo do Ensino Secundário e ainda a relação desses Padrões com a existência de sucesso escolar, pessoal e social.